Responsabilidade

“Para ser um Guia pelos outros, tens primeiro que passar a ser a tua própria lâmpada, o teu próprio farol”

Nos somos Guias uns dos outros a todo o tempo. Os pais são guias dos próprios filhos. Os professores são guias, os companheiros de vida, os médicos, os terapeutas, … É algo que traz muita responsabilidade!

Essa frase é inspirada na mensagem do Buddha “Appo Deep Bhava” que pode ser traduzido por “sejas a tua própria ilha” ou “sejas a tua própria lâmpada, luz” e eu acredito fortemente nela. Tem muito significado para mim.

Ou seja antes de passar o que quer que seja para fora, precisamos de o ter vivenciado cá dentro, de saber quem somos, precisamos de ter passado pelo processo, pela experiência. Embora seja já um grande passo, não basta tomar consciência dos nossos processos, temos que passar por eles, ter vivência e ganhar sabedoria. Isso demora tempo. Não posso falar de Parentalidade, de Relações, de Desenvolvimento, de Sexualidade, Alimentação, (…) sem que isso seja integrado na minha vida, sem ter tido essa experiência, ter passado pelos desafios, ter duvidado, ter posto em causa, ter experimentado.

E se queremos ir mais fundo, não posso passar conhecimento sem antes me conhecer a fundo, sem um processo de humilde auto-consciência. Sem perceber onde é que errei e o que aprendi dos meus erros.

Não basta tirar um curso, ler um livro o estar entusiasmados com um assunto. Passar teoria é fácil. Passar verdade, humilde vivência, sabedoria já é outra coisa.

Isso quer dizer que temos que ser perfeitos para poder passar informação para fora? Não!!! Temos que ser honestos.

Connosco próprios e de consequência com os outros.

Essa é a minha base. A minha verdade. Quem me conhece sabe-o.

Quem participa nas minhas formações sabe que a frase que eu uso recorrentemente é “Duvidem de mim, do que vos digo. Fiquem curiosos sobre como isso ressoa dentro de vocês. Eu não tenho a verdade absoluta. Eu passo-vos a minha verdade do agora, fruto da integração do que estudei e que experimentei na minha vida! Sugiro que façam o mesmo com vocês.” A dúvida é diferente da desconfiança, a dúvida traz com ela a curiosidade, e a curiosidade é o que nos permite evoluir, ir além!

Vamos ficar curiosos connosco próprios, há um mundo maravilhoso para ser descoberto e abraçado em cada um de nós!

 

Dia da Criança

Despertem a criança que há em vocês e surpreendam-se com ela!!!
Hoje é o dia da criança… qual a melhor maneira de celebrarmos tornando-nos crianças também? Deixando que a nossa essência, a nossa intuição, o nosso instinto, as nossas emoções e o prazer pela vida possam reinar!!! 👑 
O meu desafio vai ser dedicar pelo menos um momento do dia a cultivar a leveza e a alegria de ser criança, sem pensar demasiado, fazer algo que me dê PRAZER! Convido-vos a fazer o mesmo! 

Fiquem curiosos e atentos, pois as vezes somos tão condicionados que nem conseguimos imaginar o que realmente nos faz sentir bem! A vergonha, o medo do que os outros possam pensar podem bloquear os nossos maiores desejos…

Vestir uma capa esvoaçante? Tomar banho vestidos? Cantar em voz alta na rua? Salterellar em vez de andar? Comer algo que não se permitem há muito tempo? Dançar uma música bem pimba? Gritar de alegria? Jantar só “porcarias”? Usar o vestido que está guardado para uma ocasião especial há séculos? 

O que farias hoje se tivesses 3, 5, 7 anos???
Se vos falta imaginação e tiverem filhos ou uma criança por perto (sobretudo no primeiro setênio), deixem-se inspirar, contagiar, influenciar pelo entusiasmo dela!!! Ela vai adorar ser vossa coach inspiracional!