Maravilhas da natureza

Tudo o que vemos fora de nós, é porque o temos cá dentro.

E a medida que o reconhecemos fora, cresce internamente.

Quando digo tudo, é mesmo tudo… se vemos beleza, estamos a cultivar beleza, se vemos arrogância, estamos a cultivar arrogância… pode ser uma bela reflexão por esses tempos: o que estou a cultivar internamente?

O que vejo continuamente fora que não vejo cá dentro?

As vezes é desafiante encontrar em nós qualidades que reconhecemos em outras pessoas…e aqui vem a boa notícia: se as conseguimos reconhecer nos outros é porque as temos em nós, só precisam de ser vistas e cultivadas, reconhecidas, regadas, nutridas.

Precisam apenas da nossa atenção, que se acredite, que tenhamos confiança.

E é exactamente como com as crianças. Eles vão fazer com que as nossas definições, os rótulos que lhes damos, o que evidenciamos neles, defeitos ou qualidades se torne a mais fiel das verdades… Será que estou a tatuar mensagens como: “És um preguiçoso”, “És lento”, “És desarrumado” , ou como: “És tão inteligente”, “Foste tão corajoso”, “Tens umas ideias fantásticas”, “És tão criativo”….?

Nesta altura mais de que em qualquer outra: o que quero cultivar em mim?

O que estou a semear nos meus filhos?

Em que acredita a minha criança interior?

Muito amor para vocês todos nesse momento em que estamos obrigatoriamente todos mais “cá dentro”

Pedir ajuda

Antigamente vivia-se em espírito de comunidade, as famílias viviam próximas e havia muita entreajuda. Hoje em dia vivemos sempre mais isolados, (o Covid veio sublinhar isso…) atrás de ecrãs e redes sociais onde a felicidade parece reinar e o “Vai ficar tudo bem” é o mantra.

Embora eu acredite que “está tudo bem assim como está” e há uma razão para tudo ser assim como é, as vezes ver a luz ao fundo do túnel é um desafio. Há alturas em que precisamos que alguém nos dê a mão. Há dias em que é fundamental saber que não estamos sozinhos (mesmo que assim pareça, ou os nossos pensamentos mais sombrios nos queiram fazer acreditar).

Fazem falta possibilidades de partilhas autênticas, onde tudo é bem-vindo, onde qualquer estado de ânimo é abraçado, onde as nossas dúvidas ou vergonhas são acolhidas sem julgamento. Fazem-nos falta lugares ou pessoas que nos oferecem colos.

Pedir ajuda é um grande ato de coragem.

Saber que precisamos de ajuda, precisa de vulnerabilidade, da força da fragilidade.

Precisamos de poder mostrar-nos na nossa integridade, despindo o “eu consigo” que está vestido de numa contração emocional e corpórea e de um esforço desumano.

Somos mamíferos, somos seres de relações. Precisamos uns dos outros.

Eu agradeço-me por me ter tornado vulnerável, por te sabido despir a minha armadura quando necessário, por ter mostrado a minha fragilidade, as minhas dores, as minhas imperfeições, as minhas mágoas, por ter-me permitido chorar, confiar, render-me, ter deixado de querer controlar e aguentar tudo.

Agradeço a minha família (de sangue e de amigos) , as minhas filhas e aos terapeutas por me acolherem e me dar suporte nos momentos mais críticos da minha vida. Cada um à sua maneira. 🙌

Agradeço a todas as pessoas que me escolheram como suporte, que se vulnerabilizaram, que se despiram, que confiaram em mim e nas minhas capacidade, seja a nível profissional que pessoal.🙏❤️🙌

Peçam ajuda. A alguém em quem confiem, a um profissional. Não deixem que o túnel fique demasiado escuro. Eu sei que custa, eu sei que é um desafio. Mas não deixem de o fazer, é fundamental. Pedir ajuda não significa não estar á altura, não significa ser incapaz. Significa o oposto: ter coragem de me expor e de me predispor a receber o suporte necessário naquele moment. Para não se sentirem sozinhos. Para sentirem o apoio.

Para quem quiser, por quem sentir que eu possa ser a pessoa certa para ajudar, estou aqui!

O Pai Natal existe? // Babbo Natale esiste?

“O Pai Natal não existe” insistia o meu amigo, mas eu sabia que estava errado […] Assim começa esse livro “Polar Express” de Chris Van Allsburg

“O Pai Natal existe mesmo?”

Vai chegar uma altura em que essa pergunta vai ser colocada…

A minha filha tinha 10 anos quando aconteceu. Escolheu um momento em que estávamos sozinhas, de modo que a irmã não ouvisse… “Não quero estragar-lhe um sonho”… E assim começamos a falar de Magia! ✨

É uma pergunta que tem o seu valor, que precisa de atenção e presença porque a resposta pode representar a queda de um mundo tão valioso e precioso para uma criança (e para o futuro adulto que habita nela)… A gradual saída desse mundo mágico é um processo natural, e como em todos os processos, cada criança tem o seu tempo.

Perguntar de volta “O que tu achas?” pode ser interessante para perceber onde a criança se encontra, em vez de assumir que “chegou a altura de dizer a verdade”.

Nós adultos, na nossa funcionalidade racional, mental diária, muitas vezes esquecemo-nos de trazer magia nas nossas vidas, de acreditar, de confiar…

O acreditar na existência do mundo mágico é fundamental para um desenvolvimento saudável. As crianças tem direito a viver nesse mundo contagiante de magia, é saudável, confortante, seguro.

Se pararmos um pouco, na realidade a vida em si é um Pai Natal!! Nunca sabemos o que nos vais trazer, o que nos vai oferecer, fazemos pedidos secretos, escrevemos cartas imaginárias com o que desejamos… planeamos mas não controlamos… Às vezes podemos não gostar tanto do que ela nos traz, do que recebemos, mas com o tempo vamos perceber do porque, a “razão” pela qual na vida tudo faz sentido assim como é.

Possamos então permitir que a magia entre nas nossas vidas, que nos ilumine, nos contagie, que essa altura nos traga uma leveza saborosa e uma rendição á beleza da vida! Que possamos viajar no fluxo e acreditar que esse Pai Natal nós vai trazer sempre o que precisamos para a nossa evolução, desenvolvimento ❤️

O livro Polar Express é um livro de magia, é o meu livro favorito nessa altura do ano, é um livro que faz sonhar, viajar, acreditar. A verdade é que cada um pertence ao mundo em que acredita! ✨

E tu, desse lado, em que acreditas? Qual é o teu mundo?

“Babbo Natale non esiste” insisteva il mio amico, ma sapevo che si sbagliava […] Cosí inizia il libro “Polar Express” di Chris Van Allsburg.

“Babbo Natale esiste davvero?”

Arriva un momento in cui ci sentiamo rivolgere questa domanda… 

Mia figlia aveva 10 anni quando me l’ha fatta. Ha avuto l’attenzione di farmela in un momento in cui eravamo da sole, in cui non ci fosse la sorellina, perché “non voglio rovinarle un sogno”… E cosí abbiamo iniziato a parlare di Magia! ✨

È una domanda che ha il suo valore, che richiede attenzione e presenza perché la risposta può rappresentare la caduta di un mondo così prezioso per un bambino (e per il futuro adulto che abita dentro di lui)… La graduale uscita da questo mondo magico è un processo naturale, e come in tutti i processi di questo tipo, ogni bambino ha il suo tempo, il suo timing.

Rispondere con una domanda del tipo “Tu cosa ne pensi?” può essere interessante per capire dove si trova il bambino, invece di presumere che sia “arrivata l’ora della verità”.

Noi adulti, nella nostra funzionalità razionale quotidiana, molte volte ci dimentichiamo di includere la magia nelle nostre vite, di credere, di fidarci…

Il credere nell’esistenza di un mondo magico è fondamentale per uno sviluppo salutare. I bambini hanno il diritto di vivere in questo mondo contagiante di magia, è salutare, confortevole, sicuro.

Se ci si ferma un attimo, si può interpretare la vita in sé come Babbo Natale!!! Non sappiamo mai cosa ci riserva, cosa ci regalerà, facciamo richieste segrete, scriviamo lettere immaginarie con ciò che desideriamo…pianifichiamo ma non controlliamo… A volte possiamo non gradire molto ciò che ci offre, di ciò che riceviamo, ma con il tempo capiamo il perché, la “ragione” per la quale nella vita tutto ha senso così com’è.

E allora mi/ci/vi auguro che la magia possa entrare nelle nostre vite, che ci illumini, ci contagi e che questo periodo ci porti una piacevole leggerezza da assaporare e un consegnarci alla bellezza della vita! Che si possa viaggiare nel flusso e credere a che questo Babbo Natale ci porterà sempre ciò di cui abbiamo bisogno per la nostra evoluzione, crescita e sviluppo ❤️

Il libro “Polar Express” è un libro di magia, è il mio libro preferito in questo periodo dell’anno, è un libro che fa sognare, viaggiare, credere. La verità è che ognuno appartiene al mondo in cui crede! ✨

E tu, in che cosa credi? Qual è il tuo mondo?