25 Novembro – dia internacional pela eliminação da violência contra as mulheres

stop

Dia 25 de Novembro é o dia internacional para a eliminação da violência contra as mulheres. Esse tema me é muito querido e para mim está estritamente ligado a Parentalidade. Respeitar os nossos filhos, respeita-los fisicamente, emocionalmente, intelectualmente vai-lhe dar ferramentas para que eles não permitam ser vítimas nem agressores no futuro.

A violência nunca é o caminho.

A frase “uma palmada na hora certa resolve muita coisa e não mata ninguém” assusta-me, preocupa-me. Essa é a mensagem que transmitimos aos nossos filhos: que alguém tem direito (e eventualmente eu até mereço…😔) de me ferir, de passar os meus limites, sejam eles físicos, emocionais ou energéticos.

Mesmo que nós tenhamos sido alvo disto em criança, que tenhamos tido esse tipo de educação, isso precisa de ser visto, abraçado, curado, acolhido e não perpetuado, repetido!

Educar através do medo não é solução, não resulta! Ás consequências são imensas, profundas e podem estar muito escondidas na nossa criança interior.

Educar, colocar limites através do respeito é fundamental e é educar para o futuro, em vez de colocar um penso rápido que até pode resultar no momento (até uma certa idade…) mas tem um impacto enorme no desenvolvimento da criança, na construção da personalidade do futuro adulto!

Nós cuidadores, pais, educadores, temos uma grande responsabilidade sobre esse assunto, em primeiro lugar com o nosso exemplo de vida enquanto adultos, e depois directamente com as “nossas” crianças!

Quero agradecer muito a todas as mulheres que tem coragem de se declarar, de denunciar, de querer mudar, de sair, de querer ir às origens da própria dor, e que sabem até aproveitar esse caminho para se empoderar 🙏❤️ Tenho a sorte de ter conhecido algumas no meu caminho, nas sessões individuais, nas formações e elas sabem quão honro essa jornadas

Escola em tempo de Covid19

Tenho observado, através do feedbacks de vários pais, como as escolas têm reagido a esse estado de emergência…E uso a palavra reação não por acaso… Sinto que, no geral, a atitude é “Temos que continuar, ir para a frente, há um currículo a cumprir até o final do ano letivo!!!” E assim enchem-se mails de fichas e tpc’s… Isso tudo sem ter em conta o que se está a passar mundialmente, estamos no meio de uma pandemia, de mudanças profundas, de crises existenciais, de dificuldades económicas…mas o currículo não pode esperar!

E eu pergunto-me: mas ao final o que é a escola? O que é Educar?

Do latim educareeducere, significa literalmente “conduzir para fora” ou “direcionar para fora”. O termo latino educareé composto pela união do prefixo ex, que significa “fora”, e ducere, que quer dizer “conduzir” ou “levar”. O significado do termo (direcionar para fora) era empregado no sentido de preparar as pessoas para o mundo e viver em sociedade, ou seja, conduzi-las para fora” de si mesmas, mostrando as diferenças que existem no mundo.

Agora, não é o tempo que estamos a viver, uma ótima ocasião para fazer isso?

Em vez de encher os miúdos de fichas, tpc’s, inúmeras paginas de manuais para ler, não será interessante usar os tempos no zoom (….) para educar e exortar os miúdos a sugerir atitudes frente o que se está a passar? Criar um tempo, um espaço onde podem partilhar como eles se estão a sentir, quais as emoções que os assistem, como é viver esse tempo em família, como podemos eventualmente criar novos modelos de vida….

Na minha opinião há tanto, mas tanto mais e mais real a fazer que não apenas passar fichas e encher as famílias de mais “tarefas” nesse tempo de mudança tão complexo e tão exigente para todos…

Fala-se tanto da inteligência emocional e da importância que tem no desenvolvimento humano, como está a ser cuidado esse aspeto fundamental nesse momento da nossa historia? As nossas crianças estão a viver a mesma situação do que nos, estão assustados, estão a absorver todos os nossos medos mais escondidos.

Uma das minhas filhas, passou um dia em tristeza profunda, a chorar porque não sabe quando vai voltar a ver a avó que ama imensamente e que vive em Italia, está preocupada, ansiosa. É preciso respeitar isso, valorizar o que se está a sentir…e agora, HÁ TEMPO, (e É TEMPO) para isso!!!

Não vamos deixar que tudo nos distraia do que estamos a viver, a sentir, porque há tpc’s para entregar… O mundo está a pedir para PARAR-MOS. Pausa.

Eu sei que há escolas diferentes, por exemplo recebi ontem essas palavras no mail da diretora da escola da minha filha: “Então este meu email é só mesmo para vos dizer que são já tantos os desafios deste momento que estamos a viver que não se inquietem com a quantidade de trabalho que recebem, e de propostas, e de vídeos, e de meditações….inspirem, respirem e não pirem……do nosso lado queremos que se sintam apoiados e suportados e manter o contacto com os miúdos, mas do vosso lado façam a gestão do que querem e conseguem fazer. E não se esqueçam de respirar! Por favor que não sejamos nós uma fonte de stress adicional para vocês.” Gratidão por acompanhar o meu sentir, Sofia!

Façam as VOSSAS as escolhas, escolham serem responsáveis e sensatos, aproveitem esse tempo por vos abraçar, mimar, observar, contemplar, escutar, refletir, sentir…é um tempo tão, tão precioso…!!