Que caminho escolhes?

Normalmente seguimos o caminho mais fácil, que nos dá menos trabalho.
Nas relações, no trabalho, na educação, na alimentação. Na vida em geral.
Como se pudéssemos esconder de nós próprios que estamos a colocar algo que não queremos ver por baixo do tapete, a adiar o enfrentar algo de cara.


Fazemos o que a “sociedade” ou a nossa “tribo” aprovam. Por causa da nossa insegurança, por medo de sermos criticados, de perdermo-nos, de fazer algo errado, de sentirmo-nos sozinhos, de sentirmos culpa se algo não corre “bem”…


E assim fica-se em relações que já não são evolutivas (por não dizer tóxicas…), em empregos que sufocam, só por medo de perder a segurança, lugares onde não somos valorizados, reconhecidos, empoderados.


Na educação muitas vezes estamos a sentir que a forma de educar que estamos a praticar não é a que mais nos faz sentido, mas é o caminho que é conhecido, a forma como fomos educados, a única que conhecemos.


Eu sei, o desconhecido assusta.


Eu sei, ter consciência é trabalhoso. Precisa-se de tempo, dedicação, fé e paciência. Mas garanto que val a pena! É um investimento a longo termo!
O melhor que possamos alguma vez fazer na nossa vida.
Para nós, para as crianças, para os adultos de amanhã, para o mundo! A evolução do mundo pede-nos consciência, e cada um de nós precisa de fazer brilhar a sua própria luz ✨


E começa sempre de nós próprios. Podemos escolher mergulhar em nós próprios, conhecermo-nos, respeitarmo-nos e valorizarmo-nos ou escolher sempre ser o que achamos que os outros esperam de nós. Para poder ser amados e aceites, para o que na realidade não somos. Enquanto a nossa alma anseia para nos abraçar e acolher, para que finalmente, possamos SER 🙌💜

A minha proposta para que cada um possa ir ao encontro de si mesmo e de consequência dos outros, é o Curso #SomosTodosFilhos. Mais informações, na secção Eventos.